Você está em
Home > Sextoys > Quanto devo investir na hora de comprar um vibrador?

Quanto devo investir na hora de comprar um vibrador?

vibrador caro ou barato

Desde o boom dos sex shops na década de 80, os vibradores femininos vêm sendo um dos produtos eróticos mais conhecidos e recomendados pelas mulheres. Tanto para a masturbação quanto para relações sexuais, eles são os melhores aliados na hora de atingir orgasmos inesquecíveis.

Eles podem ser utilizados para penetração vaginal e anal, estimulação do clítoris e do ponto G (que são áreas erógenas do corpo feminino) e para a estimulação do prazer a dois durante o sexo. Sua principal função, além de possibilitar um orgasmo mais duradouro e intenso, é a de promover o autoconhecimento da mulher sobre o seu próprio corpo, fazendo com que ela conheça regiões pouco exploradas durante as relações sexuais.

Além da diversão e do prazer proporcionados pelos vibradores, estudos em universidades dos Estados Unidos têm comprovado que eles fazem bem para a saúde da mulher melhorando a lubrificação, fortalecendo os músculos pélvicos, tratando de disfunções sexuais como anorgasmia (quando há dificuldade em atingir o orgasmo) e dispareunia (dor durante a penetração) e diminuindo os sintomas da menopausa.

Antes de saber se vale a pena investir em um vibrador mais caro, é importante lembrar que existem diversos modelos no mercado, de tamanhos, design, espessuras e funções diferentes. O fator “preço” só deve ser levado em conta após a mulher saber o que ela espera do brinquedo sexual e de quais formas irá utilizá-lo.

Principais modelos e funções dos vibradores

Apesar de muitos vibradores serem utilizados de maneiras similares, existe uma separação formal em três grandes grupos de acordo com a região do corpo para a qual o acessório é indicado: vibrador de uso clitoriano, uso vaginal e uso anal.

Um dos modelos utilizados para a estimulação do clitóris é o Bullet, que possui tamanho mais compacto e, na maioria das vezes, tem preços mais baixos. Apesar de ser composto por pequenas cápsulas, ele possui vibrações potentes que podem ter sua velocidade e intensidade controladas. Se você busca apenas por estimulo externo, esse tipo de vibrador mais simples pode satisfazer seus desejos.

Vibrador Bullet
Vibradores Bullet são pequenos no tamanho, discretos, mas muito eficientes!

Os vibradores de Ponto G, por sua vez, possuem uma diferença importante para a estimulação da região mais sensível da mulher: sua curvatura na ponta. Esse design foi criado pensando na estimulação específica do ponto G, fazendo o orgasmo acontecer rapidamente e de forma mais intensa. Seu preço é um pouco mais elevado e, geralmente, encontra-se de R$ 200 para cima, porém, se a mulher possui maior sensibilidade nessa zona e pretende dobrar o seu prazer durante a masturbação, esse vibrador mais caro é perfeito para a ocasião.

Vibrador Ponto G PGDJ

O vibrador Personal é o modelo mais prático, barato e fácil de ser encontrado no mercado. Ele pode ser utilizado como estimulador do clítoris, mas sua principal função é a de penetração, além de ser usado para exercícios de pompoarismo com o objetivo de fortalecer a musculatura vaginal.

Vibrador Personal
Personal é um vibrador simples e eficiente, ideal para iniciantes

Existem também modelos de vibradores feitos especificamente para a região do ânus, como é o caso dos plugs anais, que funcionam de maneira similar aos vibradores de penetração, porém são mais curtos e possuem travas que ajudam a prevenir o deslizamento do acessório.

Os plugs anais têm uma grande variação de preço. Os menores costumam ser mais baratos, enquanto aqueles que possuem sistemas mais avançados de vibração apresentam um preço mais caro. Porém, esses últimos, também trazem mais conforto às relações sexuais por possibilitarem a mudança da vibração por meio do uso de controle remoto.

plug anal vibratório
Plug anal com vibrador e suas variações

Materiais dos vibradores

Também é importante levar em consideração que um vibrador mais caro geralmente é fabricado com materiais melhores e de origens mais confiáveis. É mais um caso em que o preço do produto vai refletir na qualidade final.

Além da origem, é importante prestar atenção ao material com o qual o vibrador é feito. Geralmente, em sua composição, inclui-se algum tipo de polímero como silicone, PVC, ABS, Jelly, Cyberskin etc.

No caso dos vibradores feitos com silicone, o material pode ser bastante maleável e fácil de limpar. É também um dos mais seguros e recomendados por especialistas. Seu preço pode variar bastante, mas no geral, estão em uma média de R$ 200. Dependendo da função podem chegar a preços mais elevados.

Os vibradores feitos com Jelly são mais baratos, porém apresentam menor durabilidade. Possuem diversas cores e são macios e suaves ao toque. Se você procura um brinquedo para ser utilizado a longo prazo, talvez o custo-benefício desse material não compense no seu bolso.

O Cyberskin é aquele que possui o design mais realista de todos. É um tipo de silicone que imita a pele humana e pode ser aquecido ou refrigerado. Dependendo de suas funções, ele pode estar incluso na categoria dos “pênis realísticos”.

cyberskin material pênis realístico
Pênis em cyberskin são desenvolvidos para ter um toque mais realístico o possível

Ao analisar todas essas características, cabe a você concluir se vale a pena investir em um vibrador de luxo ou em um mais simples. Porém, é importante relembrar que o investimento deve ser pensado a longo prazo e que o prazer durante o sexo é o principal objetivo na compra de um brinquedo erótico, portanto, quanto mais prazer proporcionado, melhor.

Se você ainda está em dúvida quanto a compra de um vibrador ou gostaria de acompanhar as novidades do mundo erótico, deixe seu e-mail em nosso newsletter e não perca mais nenhum conteúdo!

Top